Índice

Inicio
Instruções preliminares
Suporte do Espelho Primário
Suporte do Espelho Secundário
Focalizador
Suporte da Buscadora
Base dobsoniana
Tubo Principal
Tampa para o tubo principal
Luneta Buscadora
Retículo para alinhamento de mira
Alinhador Laser
 
Links úteis
contato
 
Construção de um telescópio refletor de 180 mm


Telescópio umedecido pelo orvalho na madrugada foto em ângulo, mostrando o focalizador e a buscadora
foto lateral, mostrando a montagem dobsoniana e o tubo do telescópio
Algumas fotos do telescópio construído com o projeto disponibilizado nessa página


Considerações Iniciais voltar para o topo



O telescópio é um instrumento fascinante.

Não existe no mundo alguém que já não quis olhar os anéis de Saturno ou a imagem de uma galáxia.

No afã de experimentar essa sensação, é comum o leigo comprar uma luneta numa loja de departamentos e se decepcionar com o que consegue ver.

Infelizmente, NÃO EXISTE TELESCÓPIO COM AUMENTO DE 500 VEZES, 700 VEZES por alguns poucos reais.

Se você viu um anúncio de telescópio com aumentos dessa ordem, saiba que o anúncio É MENTIROSO, a não ser que se referisse à um telescópio mais largo que um botijão de gás e que custasse alguns milhares de dólares.

Esses vendedores, ignorantes de das leis da física e provavelmente leigos no uso de telscópios, ignoram que ao tentar um aumento dessa ordem, tudo que o comprador vai ver é breu, escuridão total. Isso porque calculam o aumento dividindo a distância focal da objetiva pela distância focal da ocular, o que é aritmeticamente correto; Porém, quanto mais aumento, maior a necessidade de captação de luz do telescópio, e, principalmente, de qualidade óptica.

Assim, os fabricantes mal intencionados reduzem a distância focal das oculares para atingir valores aritméticos absurdos de aumento, mas que não geram imagens. Tudo que se vê é escuridão porque o telescópio não tem abertura (e muito menos qualidade óptica) para lidar com aumentos dessa ordem.

Por outro lado, não é importante ter tanto aumento.
Normalmente, um leigo se surpreende quando fica sabendo que a maior parte das observações são feitas com aumentos bem abaixo de 200 vezes.
Para ver os anéis de Saturno, só são necessários aumentos de 30x ou 40x.
As faixas de Jupiter se tornam bem perceptíveis com aumento de 40x a 50x; A grande mancha vermelha em Júpiter começa a se destacar com aumentos a partir de 80 vezes.

Quanto melhor a qualidade óptica do equipamento, melhor a definição dessas imagens
Em astronomia, infelizmente, paga-se por qualidade; Um bom telescópio é caro porque demanda horas de trabalhos de profissionais qualificados e controles rígidos de qualidade que descartam peças e aumentam o custo.

A única forma de ter um bom equipamento sem gastar muito é construir o próprio telescópio. A idéia é investir num espelho de alta qualidade (telescópio comerciais costumam não ter uma óptica primorosa) e construir o restante, que não demanda equipamentos caros nem conhecimentos profundos.

Pode-se construir o espelho também, porém a dedicação e a pesquisa terão que ser maiores.

Não incluo nesse site instruções de como construir o espelho porque não construí o meu. Eu o comprei de um fabricante de espelhos, o Sebastião Santiago, mas coloco na sessão de links endereços de sites que ensinam o processo de polimento, caso queira se aventurar.

As oculares também precisam ser compradas porque o processo de fabricar oculares é complicado e caro por necessitar de conhecimento e equipamentos específicos, embora na sessão de links exista referência à sites que ensinam o processo.

Tirando o polimento do espelho e construção das oculares, encontrará instruções detalhadas para todas as outras partes.

Procurei dar o maior detalhamento possível e manter a construção simples.
A ferramenta “mais sofisticada” que usei foi uma furadeira elétrica. A pintura foi feita usando pistola de pintura, mas pode ser feita com excelentes resultados usando latinhas de tinta spray.
Ao final de cada sessão, coloquei um link para uma página em que teço comentários sobre os erros que cometí e que que devem ser comuns numa primeira construção.

Caso resolva mudar características do projeto apresentado, busque também outras fontes de informação, porque quase tudo tem um bom motivo para ser do jeito que é.

Para citar alguns exemplos:

É comum o leigo querer criar um “disco de reforço” e colar no espelho. Fazendo isso, o espelho muito provavelmente vai “empenar”, desenvolver astigmatismo, ou mesmo se quebrar depois de algum tempo, por causa de diferentes índices de dilatação entre o vidro e o "disco de reforço".

Pode ser que alguém resolva fixar as rodas de movimento vertical direto no cano do telescópio... muito provavelmente vai descobrir mais tarde que o telescópio não pára na posição que é deixado e não terá como resolver isso, a não ser amarrando contra-pesos no tubo.

Não dá para citar todos os “Porquês” sem escrever um compêndio de centenas de páginas; Assim, tenha em mente que se resolver fazer alguma modificação, é importante pesquisar o assunto e se assegurar de aquela mudança não vai provocar problemas.

Um bom local para esclarecimento de dúvidas é site do Cosmobrain, onde pode-se pesquisar e fazer perguntas aos participantes. O Google também é um grande aliado dos ATM's (Amateur Telescope Maker - Construtor Amador de Telescópios); Aliás, sabendo perguntar, o google responde tudo :-).

Voltar ao topo da página voltar para o topo

Próxima Sessão